sexta-feira, 16 de junho de 2017

Mangaba: sabor da Paraíba



O pequeno fruto da mangabeira, árvore nativa do litoral nordestino cultivada de forma rústica - isto é com poucas técnicas de manejo -, é fonte de renda para centenas de famílias em comunidades e assentamentos litorâneos na Paraíba e em outros Estados da região Nordeste. De coloração predominantemente amarelada e com pigmentos em vermelho (quando já amadurecida), a mangaba possui um sabor marcante e aromático entre adocicado e o ácido, o que para muitos torna a sua degustação uma experiência única. Os índios já sabiam disso há muito tempo, tanto é que seu nome quer dizer "coisa boa de comer".

A mangaba é encontrada em tabuleiros na região litorânea de parte do Nordeste
A mangaba é consumida in-natura ou, como é mais apreciada, como um delicioso e refrescante suco, mas também pode ser encontrada como sorvete, coquetéis, doces, geleias e compotas. Além disso, a saborosa mangaba tem sido utilizada para fins medicinais e, por ser rica em fibras, vitaminas (vitamina A, Vitamina C, Vitamina B1 e B2) e minerais é também consumida como complemento alimentar.

Juntos, os municípios do Conde e de Pitimbu, no litoral sul paraibano, abrigam uma das maiores áreas de cultivo das mangabeiras e é comum observar os moradores locais venderem em pequenas bancas a produção do fruto, junto a outros produtos da agricultura familiar. Assim, ao consumir o fruto, seja comprando nas simples barraquinhas à beira da estrada ou se deliciando em um requintado restaurante, é provável que você esteja ajudando as famílias produtores a mantém esta atividade tradicional.


continue reading Mangaba: sabor da Paraíba

domingo, 4 de junho de 2017

São João na Paraíba 2017

Mais uma vez a Paraíba promete fazer bonito no arrastapé. Triângulo, zabumba e a sanfona já estão no ritmo da festa. Então, só nos resta dizer:  Viva Santo Antônio, São Pedro e São João!!!

"Olha pro céu meu amor, vê como ele está lindo"...O mês de junho chegou e com ele chega também aquela vontade de dançar um forrozinho, comer pamonha e canjica, se aquece próximo a fogueira, assistir a apresentação das coloridas e animadas quadrilhas juninas e também aproveitar as noites mais frias do interior da nossa Paraíba. As festas juninas são os expoentes mais vivos de nossa cultura popular e que marcam o nosso Estado e a nossa região, mas são tantas as opções (do "maior São João do mundo" a palhoça nos bairros) que seriam necessários curtir os 30 dias do mês ao som de muito forró e baião e nem assim teríamos esgotado todas as possibilidades de conhecer cada festejo na nossa Paraíba.

Campina Grande

O São João de Campina Grande é um dos maiores eventos da Paraíba (senão o maior), leva o nome do Estado para várias partes do Brasil e do mundo. Em tempos da chamada "invasão sertaneja" no cenário da música do país, os representantes do nosso verdadeiro São João coexistem (para a alegria de uns e tristeza de outros) com essa nova realidade musical. De todo modo, o São João de Campina é, por sua essência, uma festa democrática, que abre espaço para artistas locais e nacionais de estilos musicais diversos, mas que mesmo assim não perde a essência de ser um festejo popular. Em 2017 a programação inicia dia 02 de junho e só termina trinta dias depois (02 de julho), com destaque para os shows de Flávio José (03), Sirano e Sirino (10), Eliane e Os Gonzagas (17), Amazan (18), Padre Fábio de Melo (20) e Elba Ramalho (23). As apresentações de quadrilhas juninas e as ilhas de forró pé-de-serra completam a programação da festa com muita animação. Então, #PartiuParquedoPovo. Ah... Além da programação oficial do São João, que ocorre no parque do povo, vale ficar ligado no que ocorre nas casas de shows e nas pequenas festas que ocorrem nos bairros.

Veja a programação dos principais show do São João de Campina 2017:
07/06 Quarta-feira - Mano Walter, Tonny Farra e Fabrício Rodrigues.
08/06 Quinta-feira - Dorgival Dantas, João Lima e Giulian Monte.
09/06 Sexta-feira - Saia Rodada, Ton Oliveira, Alberto Bakana.
10/06 Sábado - Sirano e Sirino, Gil Bala, Rainha da Farra, Coroné Grilo e Biliu de Campina.
11/06 Domingo - Pablo, Gegê Bismarck e Galã.
12/06 Segunda-feira - Thaeme e Thiago, Alexandre Tan e Tayrone Cigano.
14/06 Quarta-feira - Léo Magalhães, Ranniery Gomes, Levada Mix.
15/06 Quinta-feira - Gabriel Diniz, Brasas do Forró, Forró da Barka.
16/06 Sexta-feira - Bonde do Brasil, Forró das Antigas, Vinicius Mendes.
17/06 Sábado - Eliane, Gil Mendes e Os Gonzagas.
18/06 Domingo - Wesley Safadão, Amazan, Pedrinho Pegação.
20/06 Terça-feira - Padre Fábio de Melo e Camila Holanda.
21/06 Quarta-feira - Solteirões do Forró, Banda Encantu’s e Banda Palov.
22/06 Quinta-feira - Bruno e Marrone, Romim Mata e Amigos Sertanejos.
23/06 Sexta-feira - Elba Ramalho, Thiago Farra, Avine Vinny, Forró Coco Seco.
24/06 Sábado - Vicente Nery, Capilé, Forró 3x4 e Jurandy da Feira.
25/06 Domingo - Maiara e Maraisa, Niedson Lua, Forró D2 e Pinto do Acordeon.
27/06 Terça-feira - Programação religiosa.
28/06 Quarta-feira - Aviões do Forró, Ramon Schnayder.
29/06 Quinta-feira - Luan Santana, Matheus Fernandes e Forró do Garotinho.
30/06 Sexta-feira (30) – Márcia Felipe, Italo e Renno, Karkará.
01/07 Sábado - Henrique e Juliano, Forró da Resenha, Bob Léo.

02/07 Domingo - Fernando e Sorocaba, Luan Estilizado, Felipão, Tribo Cordel.

Patos e Solânea

Os já consolidados festejos juninos de Patos e Solânea seguem a linha do "maior São João do mundo", atrações de grande porte, com atrações que mesclam o forró tradicional e o forró estilizado ou, até mesmo, o sertanejo universitário. O São João de Patos como o de Solânea atraem muitos visitantes, especialmente jovens que acompanham os ritmos e as atrações de maior evidência a cada ano.
Programação São João 2017 Patos

Galante, Monteiro e Bananeiras

Em Galante (distrito a cerca de 10 km de Campina Grande), Monteiro e Bananeiras os festejos são marcados por enaltecer a tradição e os elementos da cultura nordestina. Em Galante, a festa acontece de dia nas ruas do pequeno distrito... a principal atração é a chegada do trem do forró, que sai de CG trazendo animados passageiros para curtirem uma tradicional festa de interior - outra opção é conhecer o "Arraial do Cumpadi", festa privada com maior conforto e muita animação. Monteiro, no cariri, a festa começa na véspera de São João (23) e só termina no São Pedro (28) com shows de Eliane e da banda Magníficos. Bananeiras é a representante do brejo paraibano quando o assunto é São João, especialmente quando se trata de forró pé de serra. Os festejos da fria (e calorosa) cidade acontecem nesse ano de 21 a 24 de junho na praça central da cidade e na casa de reboco com atrações locais e regionais. Destaque na programação, Geraldinho Lins (22), Nordestinos do Forró (23) e Forró Caçuá (24).

Programação São João 2017 Bananeiras
continue reading São João na Paraíba 2017

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Igrejas, capelas e monumentos religiosos na Paraíba

Igreja matriz do município de Areia-PB - uma dentre tantas belas e imponentes obras religiosas da Paraíba 

Igrejas, capelas, santuários, cruzeiros, entre outras edificações religiosas, são importantes marcos da história, da cultura e das crenças locais. Assim, essas construções, além de serem registros valiosos para municípios e comunidades locais, são também importantes na construção da imagem de um lugar para o turismo.  Neste sentido, a Paraíba apresenta um conjunto de obras arquitetônicas de cunho religioso de grande diversidade e que deve ser conhecida e valorizada por visitantes, turistas e, sobretudo, pela população local. Na perspectiva de contribuir (mesmo que minimamente) com a divulgação desses templos e obras religiosas, listamos alguns monumentos, como igrejas e capelas, que são locais imperdíveis para se conhecer. 


Local de visitação religiosa de turistas e romeiros. Altar da capela de Nossa Senhora da Penha, na praia da Penha em João Pessoa - PB.

 Detalhe da fachada da igreja de Nossa Senhora da Boa Viagem no município de Alagoa Grande, no Brejo Paraibano.

 Igreja do Rosário no município de Areia, no Brejo Paraibano.

Natureza e fé em simbiose - Ruínas da Igreja de Nossa Senhora de Bonsucesso, no município de Lucena.

 Igreja na cidade de Cabaceiras, no cariri paraibano.

Igreja matriz de São Sebastião no município de Picuí, no Seridó da Paraíba. A construção faz parte de um conjunto de belas edificações históricas da cidade, como alguns belos casarios históricos, a praça e o coreto da cidade.

Praça central e igreja matriz da cidade de Pedra Lavrada, PB - um orgulho para os habitantes da cidade.

 Área interna do Santuário de Nossa Senhora de Fátima, cidade de Araruna - PB

Sem dúvidas, a igreja da cidade de Cruz do Espírito Santo é de uma beleza singular dentre as edificações religiosas da zona da mata paraibana e várzea do rio Paraíba. O município de Cruz do Espírito Santo se destaca pelas várias construções religiosas em sua área rural - infelizmente ainda não há um roteiro para visitação.

 Detalhe da igreja matriz  de Nossa Senhora da Guia, na cidade de Patos - sertão paraibano, em período da realização dos festejos juninos na cidade.

Imagem de Nossa Senhora da Penha, pertencente ao santuário que homenageia a mesma figura religiosa (João Pessoa-PB).
 De estilo arquitetônico simples, a igreja de São Sebastião, na comunidade de Forte Velho (Santa Rita) é de grande importância para a comunidade, especialmente quando da festa em alusão ao seu santo padroeiro.

Monumento em homenagem a frei Damião, município de Sousa (PB) - local de peregrinação dos religiosos de todo o sertão. 

Fachada do Complexo de São Francisco, a obra religiosa mais representativa na construção da imagem de João Pessoa - um tesouro do barroco e que traz elementos de várias escolas das artes. Sem dúvidas, vale a visita.
 Igreja/capela na estrada entre Campina Grande e Soledade.

Igreja matriz da cidade de Barra de Santa Rosa, em frente a praça Frei Martinho - uma das mais belas construções sacras do curimataú paraibano.
continue reading Igrejas, capelas e monumentos religiosos na Paraíba

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Passeio (a pé) pelo centro histórico de João Pessoa


Neste post traremos uma dica econômica e fácil de conhecer um dos pontos mais visitados da capital paraibana: a região central de João Pessoa. Este roteiro (city tour a pé) foi realizado com alunos do curso de agente de viagem com o acompanhamento de um profissional Guia de Turismo em um total aproximado de 04h30min, passando apenas pela parte alta da cidade. Porém, é possível realizá-lo de modo auto guiado. O ponto de partida foi o Parque da Lagoa (também conhecido como Parque Solón de Lucena), equipamento de lazer que recentemente passou por uma significativa requalificação, tornando-se um espaço de práticas esportivas, contemplação, gastronomia e cultura. Como estávamos acompanhados de um guia de turismo, além de observar e vivenciar aquele espaço, pudemos conhecer um pouco da história, dos casos e causos do lugar.

Após uma boa conversa debaixo das árvores centenárias do Parque da Lagoa, subimos a Av. Miguel Couto em direção a igreja da Misericórdia (uma das edificações religiosas mais antigas da Paraíba), onde entramos e visualizamos a simplicidade de seu estilo arquitetônico, e na sequência fomos a região conhecida como Ponto de Cem Réis, que na verdade é oficialmente registrada como Praça Vidal de Negreiros, nas proximidades do antigo Hotel Paraíba Palace (que hoje abriga um centro comercial).

Próxima parada: a praça João Pessoa, também conhecida como praça dos Três Poderes - lugar de decisões políticas importantes e marcantes da história da cidade e do Estado. Além do monumento central da praça, observamos o Palácio da Redenção, atual sede do governo estadual, a Assembléia dos Deputados e o Tribunal de Justiça da Paraíba. Bem próximo dali encontramos a praça Venâncio Neiva, para os pessoenses, o "Pavilhão do Chá", uma praça com um coreto em estilo oriental no centro que já serviu para ponto de encontro da elite paraibana, mas que hoje é bem pouco lembrada e contemplada pelos próprios paraibanos.


Voltando pelas calçadas da Duque de Caxias, rua apenas para passagem de pedestres, que é tomada por por lojas e pequenos centros comerciais, indo novamente em direção a igreja da Misericórdia e do Shopping Popular Terceirão até a praça Barão de Rio Branco, local onde é realizado todos os sábados a tarde o projeto "Sabadinho Bom" com apresentações de chorinho e samba gratuitos. Seguindo nessa mesma rua, já é possível ver um grande cruzeiro, que já anuncia o Centro Cultural São Francisco, mas indicamos dobrar a direita na rua Conselheiro Henrique para passagem pelo conhecido Casarão dos Azulejos e mais a frente, com a praça Dom Adalto, onde está a Igreja de Nossa Senhora do Carmo, uma das mais belas construções religiosas da cidade.

Seguindo agora pela rua Dom Ulrico enfim chegamos ao Centro Cultural São Francisco, ou apenas Igreja de São Francisco. A imponência dessa construção é vista não somente por seu cruzeiro central, mas por cada detalhe que forma a sua fachada, como nos azulejos portugueses que anunciam as estações da paixão de cristo. É certo para uma visita minuciosa ao monumento seria necessário um dia inteiro, tamanha é sua complexidade e história. Em nosso roteiro, não ficou mais que 20 min. na igreja, mas recomendamos um tempo maior para não apenas visitar, mas vivenciar a tranquilidade a paz deste lugar. Fechando nosso passeio pelo centro histórico de João Pessoa, descemos a ladeira de São Francisco (primeira rua da cidade) até o local conhecido como casa da Pólvora, onde é possível contemplar um dos mais belos pores-do-sol da cidade e assim termina nosso passeio (vale dizer que o lugar merece certa atenção e cuidados com segurança).

Outros pontos de interesse a serem visitados na parte alta do centro de João Pessoa são: o Parque Zoobotânico Arruda Câmara ("Bica"), o Mosteiro de São Bento, o Solar do Conselheiro, a Praça da Independência, a Casa do Artista Popular, a Galeria Augusto dos Anjos, dentre outros.

 Casarão dos Azulejos, Centro de João Pessoa
 Fachada do Antigo Paraíba Palace Hotel
 Cruzeiro e adro da Igreja de São Francisco, João Pessoa
Pôr-do-sol na Casa da Pólvora, considerado um dos mais belos da cidade
Mapa do roteiro a pé no centro de João Pessoa. Atrativos visitados: 1. Parque da Lagoa, 2. Igreja da Misericórdia, 3. Ponto de Cem Réis, 4. Praça João Pessoa, 5. Pavilhão do Chá (Praça Venâncio Neiva) 6. Praça Barão de Rio Branco, 7. Casarão dos Azulejos, 8. Igreja do Carmo/Praça Dom Adalto, 9. Igreja de São Francisco e 10. Por-do Sol na Casa da Pólvora
continue reading Passeio (a pé) pelo centro histórico de João Pessoa

Araruna (PB) e o turismo


Uma pequena cidade no curimataú paraibano, com aproximadamente 20 mil habitantes, com paisagens rurais exuberantes e pouco exploradas pelo turismo, que preserva parte de seus casarios antigos  e que, graças a sua localização e altimetria, apresenta características climáticas dos brejos (temperaturas mais amenas, especialmente a noite, em grande parte do ano) - essa é Araruna, cidade ainda pouco conhecida turisticamente, mas que buscado mostrar o seu valor e assim chamar a atenção de turistas e visitantes.

A cidade em si é mais visitada em períodos de eventos, como o São João na Serra, a Festa da Padroeira de Nossa Senhora da Conceição ou Araruna Moto Fest. O antigo mercado da cidade hoje acolhe um centro de atendimento aos visitante e oferece as honras aos turistas que querem conhecer um pouco da história dessa tradicional cidade. O equipamento (foto) está instalado ao lado da arborizada praça principal da cidade, que ainda hoje é local de encontro nos moradores - especialmente em dias de missa na igreja matriz - e de apresentações culturais locais.

Saindo de sua área central e indo ao encontro de seu espaço rural, é possível conhecer uma paisagem bucólica formada por fazendas, sítios e pequenas comunidades. Belas e imponentes árvores, um clima serrano e construções históricas como a fazenda Maquiné - uma das mais prósperas fazenda de algodão do passado da cidade. Infelizmente, ainda não há roteiros estruturados de visitação turista que promova os equipamentos e atrativos turísticos rurais o município, mas mesmo assim é possível conhecer e conversar com os moradores locais.

Não vamos esquecer ainda de seu ponto mais conhecido e visitado, o Parque Estadual da Pedra da Boca. Criada para resguardar o bioma caatinga e as feições formadas por um conjunto de rochas de suma importância do ponto de vista geológico, a unidade de conservação recebe em praticantes de esportes de aventura e ecoturistas e são acompanhados, quando solicitados, por condutores locais e guias experientes de escalada. No entorno do parque é possível acampar e fazer as refeições em um singelo restaurante de propriedade dos moradores da comunidade local.

Araruna, em conjunto com outros municípios de sua região, tem trabalhado para tornar realidade a Rota Aventuras na Serra. Assim, é possível que nos próximos anos a visitação turística seja uma vertente econômica mais bem trabalhada na cidade. Mesmo que o turismo ainda não esteja totalmente organizado no município é possível encontrar bons atrativos e opções de hospedagem e alimentação.

Serviços:
- Hospedagem Afink - 83 3373- 1473.
- Araruna Hotel Pousada - 83 3373-1147.
- Pousada Rural Vale da Serra - 3373-1002.
- Camping do Seu Tico(Pedra da Boca) - 83 9 9967-5037.




As ruralidades do município de Araruna, PB.

Agradecimento: à Wellignton Rafael por ter sugerido o tema deste post.
continue reading Araruna (PB) e o turismo

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Bem-vindos à Sousa, PB:


Sousa, cidade sertaneja localizada a cerca de 430 km da capital João Pessoa (PB),  se destaca não somente por sua atividade comercial e industrial bastante reconhecida na região onde está inserida, ou por sua vasta produção agrícola, como a produção irrigada de frutas - especialmente o coco-verde. A cidade é também lembrada por sua vocação turística, com atrativos importantes para o turismo da Paraíba, mas que ainda assiste a um incremento paulatino da visitação ao município.

A primeira lembrança que se tem sobre a cidade é, sem dúvida, o seu patrimônio paleontológico, representado pelo conjunto de pegadas e fósseis de dinossauros e outros animais encontrados às margens do rio do Peixe - um dos rios mais importantes da região. Esse conjunto de pegadas, tão importante para compreensão da história da Terra, está protegido, mesmo que parcialmente, graças a instauração de uma Unidade de Conservação (UC) denominada de Vale dos Dinossauros, onde é possível realizar a visitação gratuita ao museu e as trilhas suspensas do parque.

O atrativo, que recentemente passou por uma ampla reforma, é aberto de terça à domingo, das 08h00 às 17h00, sendo necessário o agendamento apenas para visitas em grupo.

Vale dos Dinossauros, Sousa -PB, na saída para o município de Uiraúna
Mas não é só isso, Sousa ainda guarda muitas coisas bacanas para conhecer. O distrito de São Gonçalo, além de famoso produtor de coco do Estado, guarda um dos mais importantes reservatórios de água daquela região. O açude (que leva o nome do santo protetor da comunidade) é também um dos principais locais de visitação turística de Sousa - especialmente nos períodos de chuva, quando o São Gonçalo está cheio. Restaurantes próximos ao reservatório servem o melhor da gastronomia local - os principais pratos são a base de peixe pescado no próprio açude, claro.


No centro da cidade, na região de entorno da igreja matriz, alguns casarios chamam a atenção pela arquitetura. Na praça principal da cidade, há uma escultura intitulada Milagre Eucarístico que retrata a cultura da fé do povo sousense. Já no Centro Cultural do Banco do Nordeste ocorre a maior parte das atividades culturais da cidade - como apresentações artísticas e exposições. 


A cidade possui, ainda, boas opções de hospedagem, como o Hotel Vó Ita, e bons restaurantes, como o Bistrô e o Troodon e também outros atrativos - como a estátua de Frei Damião, um belo caminho de tamarindeiros, a antiga estação ferroviária, sítios, comunidades e belas paisagens rurais em seu vasto território.

Atrativos turísticos rurais da cidade de Sousa, PB

continue reading Bem-vindos à Sousa, PB: